Pior do vento do ciclone Yakecan ainda está por chegar

Terça, 17 de Maio de 2022 às 17h07min
O vento já sopra forte a intensamente no Rio Grande do Sul.
Foto Reprodução/MetSul Meteorologia

Os meteorologistas da MetSul Meteorologia alertam que o pior do vento ainda está por vir e vai chegar entre o meio da tarde e o começo da noite no Sul gaúcho, à noite e no começo da quarta na Lagoa dos Patos e na região de Porto Alegre, no fim do dia e na madrugada no Litoral Norte e no início da quarta no Sul de Santa Catarina. A ventania já deixou um morto no Uruguai e um desaparecido no Rio Grande do Sul.

O vento já sopra forte a intensamente no Rio Grande do Sul. Ao meio-dia, as rajadas de vento no Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, atingiam 72 km/h. Em outros pontos da cidade, o vento era ainda mais forte com rajadas de 80 km/h a 90 km/h. Já há queda de árvores na cidade. As rajadas atingem até 70 km/h também em pontos do Vale do Rio Pardo.

O meteorologista Luiz Fernando Nachtigall adverte que o pior ainda está por vir. “Estamos com rajadas por vezes intensas apenas com a aproximação de Yakecan, mas será principalmente na noite de hoje que teremos as rajadas mais intensas e com maior potencial de danos e transtornos para a população como falta de luz”, alerta Nachtigall.

“O centro do ciclone ao meio-dia estava a Sudeste do Chuí e entre a tarde e a noite de hoje e o começo da quarta o centro do ciclone vai avançar de Sul para Norte, margeando o Leste do Rio Grande do Sul, o que vai gerar rajadas muito intensas e com força de furacão em alguns pontos”, enfatiza o meteorologista sênior da MetSul.

Nachtigall observa que a chuva ainda não chegou em muitas cidades e que a intensificação do vento vai se dar com a chegada da chuva que virá com as bandas de nebulosidade do vórtice da tempestade Yakecan e a passagem do centro da tempestade pelo Leste gaúcho. Há risco de chuva localmente forte a torrencial em alguns pontos. Em áreas de maior altitude do Estado, a chuva pode ser congelada.

O vento, em média, no Sul e no Leste gaúcho deve atingir 80 km/h a 100 km/h, mas vários pontos devem ter rajadas de 100 km/h a 120 km/h com risco de marcas isoladas na Lagoa dos Patos e na costa de até 130 km/h ou 140 km/h. A região de Mostardas a Palmares do Sul e Cidreira deve ser a com vento mais intenso, com força de furacão em alguns momentos. Esta região entre a Lagoa dos Patos e o Oceano Atlântico que vai de Rio Grande à área de Palmares do Sul, Quintão, Pinhal e Cidreira deve ser a mais castigada por vento com rajadas com força de furacão (acima de 120 km/h em alguns momentos).

Em Porto Alegre, a estimativa da MetSul é de rajadas, em média, de 80 km/h a 100 km/h, mas, adverte-se, a topografia da cidade (morros e prédios que canalizam vento) e a presença da lagoa ao Sul e do Guaíba a Oeste podem resultar em vento de 100 a 120 km/h, sobretudo em pontos mais ao Sul da cidade e próximos da Lagoa dos Patos. Cidades mais ao Sul da área metropolitana como Guaíba, Eldorado do Sul e Viamão podem igualmente ter vento muito forte perto e acima de 100 km/h. O Vale do Sinos, pelo seu relevo, costuma ter vento menos forte.

O Litoral Norte gaúcho, de maior população que o Sul, terá vento muito forte a intenso com rajadas localmente extremamente fortes e com potencial de danos. São esperadas rajadas perto ou acima de 100 km/h e potencialmente mais intensas em praias e municípios mais ao Sul da região. Em alguns balneários, o vento pode ficar entre 110 km/h e 120 km/h na beira da praia. Mais ao Norte, embora se preveja vento muito forte a intenso em alguns momentos, as rajadas seriam menos violentas que em praias mais ao Sul da região, embora possam passar de 100 km/h em alguns pontos.

Em Santa Catarina, o vento pode ser muito forte também no Sul do estado com as rajadas mais intensas ocorrendo no Litoral Sul, onde em alguns pontos devem ficar próximas ou acima de 100 km/h, como nas áreas de Passo de Torres, Balneário Rincão e Laguna. O vento nas montanhas do Planalto Sul Catarinense, como no Morro da Igreja, e em elevações na borda da Serra nos Aparados pode atingir velocidades altíssimas.

por MetSul Meteorologia

Fonte: Infoco RS
Fotos